mar 222017
 

 

Sempre  vemos filmes de terror com assombrações e invocações do diabo a quatro, mas depois a gente dorme tranquilo, porque sabemos que não tem dessas paradas aqui no Brasil, certo? … CERTO?

Aí que você se engana! Brasil é um país enorme e vasto, contendo histórias em cada canto desse mapa, e muito deles são de arrepiar!
Selecionamos pra você 15 dos lugares mais assombrados situados aqui no Brasil,  quem sabe você não mora perto de um deles, e quer dar uma passadinha pra bater um papo com os que “Ja foram”, ou que deveriam ter ido pelo menos..

 

Cidade fantasma – Fordlândia (PA)

Henry Ford foi um dos maiores empreendedores da história e em 1920 ele comprou algumas terras às margens do Rio Tapajós. Sua ideia era iniciar uma plantação de seringueiras para a produção de borracha. Entretanto, depois do fim da 2° Guerra Mundial, Ford desistiu do projeto. Mas por algum motivo essas terras são assombradas e muito moradores das redondezas morrem de medo de passar por perto.

 

 

Cachoeira de Angahy Pequeno – Aiuruoca (MG)

Os habitantes da ínfima cidade de Aiuruoca afirmam que, ao se aproximar do local da cachoeira Angahy, barulhos típicos de trabalho braçal começam a ser ouvidos. Dizem que, na cachoeira em si, pessoas já sentiram empurrões que vieram do nada. Antigamente, ali nas proximidades do lugar, existiu uma fazenda que utilizava escravos como mão de obra e a crença é de que sejam os fantasmas escravizados causando tudo isso.

 

 

Casa em Buriti dos Lopes – Buriti dos Lopes (PI)

A casa simplória da rua Tiradentes, em Buriti dos Lopes, pode ser considerado um caso de Poltergeist. Dizem que o lugar é habitado por uma senhora idosa que já perdeu quase todos os seus bens que voam do nada pela casa e se quebram. Alguns moradores da rua afirmam já terem visto copos voando e quebrando até na calçada. Além de esquisito, é meio perigoso estar caminhando tranquilamente pela rua e levar uma copada do além na cabeça, né?

 

 

Fórum Criminal de Porto Velho – (RO)

O fórum está em pleno funcionamento e, segundo os funcionários que trabalham lá, é possível perceber e até ver os fantasmas que habitam por lá. Durante a noite, quando tudo fica mais silencioso e calmo é quando eles costumam aparecer. Diz que um rapaz assassinado lá dentro do fórum aparece no banheiro às vezes. Bom que a aparição acontece num lugar de fazer xixi mesmo…

 

 

Igreja de Comandaroba – Comandaroba (SE)

Construída no século XVIII, a igreja abriga túmulos expostos das pessoas – já que na época era comum enterrar os defuntos em igrejas. Dizem que nos fundos da construção, existe um pequeno cemitério onde se ouvem vozes, passos e barulho de água caindo no chão – sem que exista um ser ou uma torneira sequer por ali. Uma das pessoas que cuida da igreja e dorme por lá disse que já sentiu que estava sendo sufocada, por mãos humanas, durante a noite.

 

 

As caixeiras da Pedra do Divino – Itaguatins (TO)

A Pedra do Divino fica na cidade de Itaguatins e, como de costume, todo ano acontece a festa do Divino. Durante a celebração, existe um momento de pausa e silêncio para que sejam ouvidas as batidas de tambor provindas da Pedra, que fica no meio de um rio onde é quase impossível de se chegar. Na época do garimpo, um barco que transportava pessoas para a Festa do Divino naufragou ali, na rocha, matando todos a bordo. Acredita-se que as almas destas pessoas produzem o barulho e participam da festa do outro lado – dos mortos.

 

 

Teatro Santa Roza – João Pessoa (PB)

Muitos dizem que o terreno onde foi construído o Teatro Santa Roza, em João Pessoa é amaldiçoado. Antigamente, bem antes da construção, em 1889, as pessoas eram levadas para serem assassinadas e enterradas lá. Acontece que desde então, o povo diz que direto presenciam portas e janelas abrirem e também percebem o movimento de vultos no pelo lugar.

 

 

Museu do Primeiro Reinado – Rio de Janeiroa (RJ)

O casarão que abrigou Domitila de Castro e logo depois a Marquesa de Santos é conhecido também por ser um lugar que assombra as pessoas. Rola o boato que quem visita a casa e passa pelos ambientes de lá não se sente tão confortável. Apesar de não existir nenhum relato de que existem assombrações no local, muita gente sente algo esquisito quando coloca o pé ali.

 

 

Lampião – Mossoró (RN)

Virgulino Ferreira da Silva, mais conhecido como Lampião, juntou um bando e  foi pra cima dos moradores para ocupar Mossóro. Mas, os habitantes da terra defenderam suas propriedades com unhas e dentes deixando o cangaceiro chupando dedo. O Museu da Resistência, que fica na Av. Rio Branco, foi criado em memoria a essa invasão, que ocorreu em 1927. Lampião nunca engoliu a derrota e até hoje assombram os moradores da cidade.

 

 

Pajé – Serra do Tepequem (RR)

Muitas terras espalhadas pelo Brasil foram ocupadas por índios e em Roraima não foi diferente. Tem uma história que certa vez um pajé ianomâmi ficou muito louco e foi deserdado por sua tribo e largou ele sozinho no meio da mata. Ele é conhecido por assombrar as pessoas que passam próximo a área onde era a tribo.

 

 

 

Porto de São Francisco – Balneário de Capri (SC)

O Porto, construído por D. Pedro II, também é conhecido por ter abrigado uma série de leprosos que vinham de todas as partes do Brasil. Dizem que essas pessoas viviam em condições sub-humanas e muitos desses doentes falavam para os habitantes dali que mais tarde viriam para assombrar o local. Adivinha?

 

 

 

O Solar das Sete Mortes, Bahia (BA)

 

 

Há na Bahia um casarão assombrado por excelência. E também por motivos históricos. Conta-se que no século XVIII uma escrava da família residente envenenou seus patrões e filhos como forma de vingança. Há também registros comprovados da morte do Padre Manuel Pereira. Seja qual for o motivo, fato é que muita gente diz ter ouvido passos, portas que se abrem e se fecham sozinhas e também algumas aparições enevoadas no local.

 

 

 

 

 

Castelinho do Flamengo, Rio de Janeiro (RJ)

 

 

O Castelinho do Flamengo, no Rio de Janeiro (RJ), foi construído no final do século retrasado, onde residia uma garota chamada Maria de Lourdes, juntamente com seus pais. Após a morte trágica destes, entretanto, Maria teve a guarda assumida por um tutor. Bem, ocorre que, além de roubar os bens da menina, o sujeito ainda a tratava de forma execrável.

Como resultado, há quem diga que o fantasma de Maria ainda pode ser ouvido no local — seja por meio de ruídos inexplicáveis ou de risos fantasmagóricos.

 

 

 

 

O edifício Joelma, São Paulo (SP)

O edifício Joelma (posteriormente renomeado para edifício Praça da Bandeira), em São Paulo (SP), protagonizou uma das maiores tragédias já registradas em território nacional. Em 1º de fevereiro de 1974, um incêndio no local matou 191 pessoas e deixou 300 outras feridas. Entretanto, antes mesmo da construção do prédio, conta-se que um professor de nome Paulo Camargo havia assassinado sua mãe e suas irmãs no local — tendo se suicidado pouco depois.

Naturalmente, isso foi mais do que o suficiente para provocar comentários de que o local encerra algum tipo de maldição. Há quem diga que o motivo deve ser o fato de que até o final do século XIX havia ali um pelourinho (local destinado ao castigo público de criminosos).

 

O Leprosário de São Francisco do Sul (SC)

A bela e bastante antiga cidade de São Francisco do Sul (SC) abriga inúmeras ruínas e, ao redor delas, diversos relatos de assombrações e fenômenos paranormais variados. O local mais contemplado por essas histórias, entretanto, é o antigo leprosário da cidade — para onde eram enviados pacientes de todo o Sul do Brasil. Localizado na Praia do Forte, o local normalmente é associado a sensações negativas, dores de cabeça, aparições inexplicáveis, lamúrias e pedidos de socorro.

 

 

Fonte:

 

Comments

comments

 Leave a Reply

Seo Packages
error: Gratos por sua visita!